quarta-feira, 29 de abril de 2009

Sobre a palestra Design dos pés à cabeça

Hoje fui assistir a essa palestra que comentei aqui na Universidade Veiga de Almeida. E gostei muito! Foram três palestrantes contar suas experiências como designers de acessórios.

A primeira foi a Alessandra, designer de Zóias. Interessante demais o conceito "zóia" dos seus produtos. E todos lindos!

A segunda palestrante foi a Brígida. Ela é formada em direito, mas sempre quis trabalhar com moda. Se formou em estilismo e começou como artesã e trabalhou para marcas como Cantão e Alessa. Sentindo necessidade de dar acabamento industrial às suas criações de croché, ela conheceu pelo SEBRAE o Seu José, um senhor muito arretado com mais de 30 anos de experiência na área industrial de calçados e assim começaram a marca Brigida.
O Seu José, do alto da sua experiência adquirida somente na vida, me deixou emocionada em seu discurso. Sabiamente, falou: "Estão falando em crise, mas para a moda não existe crise. Existe renovar e ensinar". Bravo, Seu José!

Quando fui falar com eles para minha alegria a Brigida conhecia meu blog e ficou super feliz com minha presença na palestra. Me presenteou com uma carteira lindaaaaaaaaa e uma foto ao lado deles! Aí, mais uma vez o Seu José, emplogadíssimo com esse encontro, falou: "Que bonita essa mistura da gente, de quem produz e de quem usa! A moda é isso, a moda é uma coisa linda!!". Lindo é também encontrar gente bacana assim, seu José.


Seu José, Marcia, Brigida e eu! Reparem no bolero lindo que a Brigida usa....

A última palestrante foi a Angelsea Camargo, uma paraense (Lilian, lembrei de ti!) que desde criança trabalha com coleta, produção e criação das chamadas biojóias. Se vocês ouvissem a história da vida dela e da sua família, iam ficar encantados. Uma senhora aula, aprendi demais.

Ela coleta 500kg de materiais naturais no Pará a cada dois anos e trabalha com uma diversidade impressionante de sementes e cascas. Vocês sabiam que 90% dos materiais que ela usa, todos naturais e oriundos do Brasil, são patenteados por países como os EUA? Ou seja, nossos produtos vindos da terra, nossas cascas, palmeiras e sementes não podem ser exportados sem que consultem esses países? Que são exportados de forma que beneficiem seus "donos"?
Triste demais isso.

Vou aqui posar pra vocês, já volto!

Beijocas!

5 comentários:

Inusitados disse...

Poxa Ana!
Eu queria muito ter ido! Não pude!
Já acessei todos esses sites que vc colocou aqui, muito legais!
Vou escrever pra eles para mostrar o meu blog! :)
Beijos!
Bruna.

Viviane Moreira disse...

Que máximoooo!!!!
Queria ter ido......
Bjssssss

Fabianne disse...

Tá vendo, isso é qualidade - o reconhecimento vem dela... Parabéns!
bjao e brigada pela visita...
P.s.: O vestido é lindo diiiiiiimais

Juliana G. disse...

Ana, que bolsa maravilhosa é essa que tens em mãos?
aff =P


=)

renatabatata disse...

Que legal essa palestra, Ana!Quanta informação e que gente bacana!
Essa última nota aí dos materiais made in Brazil que só ficam na mão dos gringos chega a ser revoltante, né? Mas a gente tb tem que valorizar o que é nosso e não só achar que o que é bom vem de fora.
Qdo trabalhava com turismo, conheci uma pessoa que só queria saber de marcas gringas e etiquetas. Uma vez, ela chegou com um colar lindo, todo colorido, que ela tinha comprado na Espanha. Ela não sabia, mas aquele colar era feito por uma cooperativa de mulheres no Nordeste, que trabalhava com materiais orgânicos e tingimento natural. Ela pagou caro e, tenho certeza, a cooperativa não recebeu tanto. E ela ficou achando que eram os espanhóis que entendiam do babado...
Obrigada por compartilhar com a gente!
Beijinhos!